• denuncias
  • peticionamento
  • protocolo
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • lgpd
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Institucional
  • Vice-procuradora-chefe do MPT-PB participa de hasteamento simbólico da bandeira LGBTQIAPN+
  • Confira o passo a passo de como fazer uma denúncia ao MPT.
  • ACESSE AQUI O SERVIÇO
  • Acesse o MPTTV - Paraíba
  • Confira aqui a atuação do MPT-PB na pandemia do novo Coronavírus

Vice-procuradora-chefe do MPT-PB participa de hasteamento simbólico da bandeira LGBTQIAPN+

28/06/2024 - Na última sexta-feira, 28 de junho, data em que se comemora o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAPN+, o Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (13ª Região) realizou um ato histórico: pela primeira vez, hasteou a bandeira arco-íris. O momento foi acompanhado por magistradas, magistrados, servidoras, servidores, jovens aprendizes e representantes de instituições como MPT-PB e OAB-PB.

O hasteamento da bandeira do arco-íris foi feito pelo coordenador do Comitê Gestor da Igualdade de Gênero, Raça e Diversidade, juiz André Machado, ao lado das servidoras Débora Fernanda Barbosa e Cybelle Melo; dos servidores Fladson Santos e Washington Alves; e da funcionária terceirizada Arlinda Trindade. O momento foi acompanhado pela canção “Toda forma de amor”, do músico Lulu Santos, interpretada pelo servidor Pedro Motta.

O juiz André Machado fez, também, a entrega simbólica da Cartilha de Direitos da Comunidade LGBTQIAPN+, criada pela Comissão LGBTQIAPN+ da Anamatra. Ainda em alusão à data, os prédios do edifício-sede do TRT-13 e do Fórum Maximiano Figueiredo, em João Pessoa, e do Fórum Irineu Joffily, em Campina Grande, estão com iluminação especial nas cores do arco-íris.

“Vivemos, ainda hoje, uma luta incessante para preservar não só direitos básicos como saúde, educação e trabalho digno, como as próprias vidas de pessoas LGBTs no Brasil, que é o país que mais mata pessoas trans. Precisamos desse dia para que a mensagem de respeito seja espalhada e incutida nas mentes e corações de todos. Só assim teremos uma sociedade mais justa e fraterna”, destacou o magistrado.

Por sua vez, a vice-presidente do TRT-13, desembargadora Herminegilda Machado, salientou a importância de se conhecer a história. “Pessoas continuam sendo discriminadas e mortas por causa de sua orientação e é uma situação que sempre existiu. Por isso, é preciso conhecer a história. Quando a estudamos, conseguimos compreender o presente e tentar fazer um futuro melhor. Para além disso, tudo passa pelo respeito”, enfatizou.

A vice-procuradora chefe do MPT-PB, Danielle Lucena, afirmou que a data mostra o quanto é necessário buscar o conhecimento. “Precisamos valorizar cada uma dessas pessoas, mostrando que as instituições estão aqui para apoiá-las. Este ato é simbólico não só para o Tribunal e demais instituições, como para a sociedade”, disse. Já o presidente da Comissão de Direito do Trabalho da OAB-PB, Joacil Freire, frisou que é importante lutar pelos direitos trabalhistas da comunidade LGBTQIAPN+. “Apesar dos avanços, ainda há muitos desafios a serem enfrentados no âmbito laboral, como a discriminação e o preconceito”, pontuou.

 

Assessoria de Comunicação Social do TRT-13

 

 

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • bunner yt ok
  • Portal de Direitos Coletivos
  • nr